Como começar a empreender em 2021?

O Brasil tem mais de 12.700 startups, segundo o último levantamento da Associação Brasileira de Startups (Abstartups) de fevereiro de 2020. Levando em conta esse crescimento no interesse em empreender mais a cada ano, Beatriz Montiani, diretora de Inovação da Visa e responsável pelo Programa de Aceleração, separou dicas essenciais para quem deseja começar uma startup em 2021.

Resolva uma dor (de fato) do mercado

Não basta ter uma sacada incrível, é preciso saber se existe mercado para essa ideia.

É preciso pensar se o negócio resolverá alguma dor que nenhuma outra solução ainda conseguiu resolver de forma efetiva e se o mercado é grande o suficiente para escalar a solução.

Mapeie seus concorrentes

Antes de colocar sua ideia em prática faça uma pesquisa de mercado para mapear os seus possíveis concorrentes diretos e indiretos.

Muitas ideias podem parecer inovadoras e únicas no ponto de vista de quem as cria, mas quando pesquisadas a fundo é possível notar que já existe um produto que resolve essa dor no mercado com a mesma proposta há anos.

Isso não quer dizer que, ao encontrar um modelo de negócio parecido, você deve jogar sua ideia fora, afinal grandes empresas têm grandes concorrentes.

Se a sua ideia se propõe a resolver o mesmo problema de uma forma mais efetiva isso já é um diferencial.

Valide a sua ideia/solução com os usuários

Ter uma ideia incrível para solucionar uma necessidade trazendo uma experiência melhor,  ganho de tempo ou ainda mais eficiência é ótimo, mas é essencial validar com o consumidor/usuário final antes de investir tempo e dinheiro no desenvolvimento de uma plataforma ou aplicativo mais completo, por exemplo.

Assim, mais vale um MVP (sigla em inglês para “Produto Mínimo Viável”) validado com o usuário, recebendo feedbacks e insights, do que construir e lançar uma solução no mercado já pronta, sem ter informações relevantes e se de fato há apelo para os consumidores.

Crie um plano de negócio

Com a ideia identificada, mapeamento de possíveis soluções concorrentes e o entendimento das necessidade dos usuários finais, é a hora de criar o plano de negócio e colocar “no papel” a sua solução, permitindo que se enxergue de forma mais clara os objetivos: para que a solução veio? Qual é o mercado-alvo (quais são os desejos e anseios desse consumidor)? Qual é o tamanho deste mercado? O quão atrativo ele é? Há barreiras de entrada? Quais seriam os canais de distribuição? Qual é o perfil do time, forte o bastante, para entregar a solução? Quais passos devem ser dados para que os objetivos sejam alcançados (roadmap)? Concorrentes, metas, indicadores financeiros (dentre eles, o Custo de Aquisição de Clientes – CAC) e estratégia de marketing/distribuição devem constar no seu plano.

Ter um bom pitch de vendas ou mesmo um bom material para buscar investidores é crucial.

Designed by @pressfoto / freepik
Designed by @pressfoto / freepik

Dedique um bom tempo a este material, seja caprichoso, organizado e tenha uma linha de raciocínio clara.

A primeira impressão é a que fica. Então, mãos à obra!

Tenha um time qualificado e complementar

Para garantir o sucesso da sua startup é preciso cercar-se de profissionais qualificados e com habilidades e conhecimentos complementares aos seus que garantam que o negócio tenha sucesso.

Afinal, é o time que faz o negócio funcionar.

Além disso, a distribuição de equity para ter sócios tende a ser fundamental para gerar mais valor para seu negócio, principalmente quando o empreendedor avalia suas limitações com experiências empresariais, conhecimentos técnicos e aspectos financeiros do negócio.

Todos devem estar no mesmo barco com o mesmo objetivo.

Busque parcerias e divulgue o negócio

Nessa etapa você já deve ter bem claro quem devem ser seus possíveis parceiros e qual é o melhor canal de distribuição.

Então, vá atrás deles e apresente o seu negócio, mostrando o quanto a sua solução é essencial e por que eles deveriam fechar negócio com você.

Em paralelo, invista na divulgação em redes sociais, sites, publicidade e tudo que possa fomentar a sua startup no mercado e atrair tanto clientes quanto investidores.

Além de todos esses pontos importantes citados divididos com quase 70 startups durante os quatro anos do Programa de Aceleração Visa, Beatriz Montiani complementa: “é necessário muito trabalho, vontade de fazer a diferença e muita resiliência. Nem sempre as coisas acontecem da forma planejada, conforme o roadmap definido. Por isso, nunca deixe de ter flexibilidade para mudar de rota, buscar novos parceiros, testar e (re)testar sempre que preciso”.

Sobre o Programa de Aceleração Visa

O Programa de Aceleração Visa é uma iniciativa da Visa no Brasil, empresa líder em pagamentos digitais no mundo, que tem como objetivo fomentar o ecossistema de startups no País e promover o empreendedorismo, a inovação, o talento e a tecnologia.

Além de acelerar as startups, a Visa tem o papel de auxiliá-las em sua atuação junto ao mercado e gerar conexões e negócios.

O programa acontece desde 2017 e está na sua quarta edição.

Já passaram por ele 69 startups e, segundo levantamentos da Visa, até o momento 38% das startups fecharam negócios pelo Programa.

Fonte: Rede Jornal Contábil.

0

Start typing and press Enter to search