Auxílio Emergencial poderá ser estendido até outubro

O auxílio emergencial deverá ter a rodada de pagamentos estendida por dois ou três meses, conforme falou o ministro da Economia, nessa terça-feira (8). Segundo ele, o avanço da pandemia de Covid-19, e a vacinação ainda em ritmo lento, favorece a continuação do pagamento aos vulneráveis, até que toda a população adulta esteja vacinada.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Paulo Guedes admite que o benefício será estendido entre dois ou três meses e também confirmou que após o auxílio emergencial será implantado o novo Bolsa Família, já reformulado.

No entanto, ele não falou nada se o auxílio estendido por dois ou três meses continuará como mesmo valor atual, ou seja, entre R$ 150 e R$ 375.

Previsto para terminar em julho, o auxílio emergencial deverá ser estendido até setembro ou outubro.

Novo bolsa família

Outro assunto comentado por Guedes foi a reformulação do Bolsa Família, que segundo o governo, deve começar a valer após o pagamento do auxílio emergencial.

O ministro, no entanto, não disse de quanto seria o valor do novo Bolsa Família, mas, há uma expectativa que seja algo em torno de R$ 260. A única certeza é que o programa será ampliado, recebendo um número maior de pessoas.

Existe um desejo do Bolsa Família favorecer estudantes com bom desempenho escolar, com um bônus anual de R$ 200. Além disso, oferecer auxílio-creche para cada criança, num valor que seria de R$ 52,00.

Há a possibilidade de um prêmio anual de R$ 1.000 para o estudante cientifico e técnico. As regras para entrar no programa e também para sair, deverão ser mudadas.

Edição por Jorge Roberto Wrigt Cunha – jornalista do Jornal Contábil

Fonte: Rede Jornal Contábil.

0

Start typing and press Enter to search